Como o universo de Shingeki no Kyojin arruinou seu próprio conceito de terror

[ATENÇÃO, spoilers do mangá]

Muita controvérsia foi criada há alguns meses, quando o mangá de Shingeki no Kyojin (Attack on Titan, ou Ataque dos Titãs) nos mostrou que não sós esses dois títulos traduzidos levaram uma passada de mão na bunda dos japoneses, como o próprio conceito de terror da série foi destruído.

Que conceito seria esse?

Ora, o da humanidade estar a beira da extinção, ou seja cada batalha perdida, cada recuo, não significava somente a perda de territórios para uma nação ou governo, mas o relógio do fim dos tempos se aproximando da meia noite.

QTEtR6fz0
Os titãs conseguiam, ao mesmo tempo, serem humanos e serem monsturosos. Acho que a ideia para a concepção dele veio de um fundo parecido com o Xenomorfo do filme Alien. Tirando os aspectos fálicos e sexuais e as substituindo por adultos pais de família, talvez uma referência à pressão da sociedade ou dos pais em tornar-se adulto (#Viagem).

Em primeiro lugar, devo dizer que facilmente me apego a personagens e, sem muitas dificuldades, me importo com o que acontece com eles.

Em segundo lugar, sei que os mistérios envolvendo o mundo são muito mais importantes do que qualquer terror.

Dito isso, o choque de ver milhares de civis sendo devorados e o horror de ver os jovens cadetes sendo comidos sem piedade pelos titãs, enquanto tentam desesperadamente, na maioria das vezes de forma inútil, lutar ou fugir, era ampliado pelo fato de que não havia realmente um lugar para onde fugir. Do que adianta correr para trás da nova sessão de muralhas, se nelas centenas de milhares de pessoas irão se espremer até que tenham consumido todos os recursos e a humanidade chegue a extinção?

CPAI4.jpg
A humanidade ocupava um espaço extremamente reduzido e, mesmo nele, haviam diversas barreiras sociais e econômicas, como as áreas mais pobres sendo usadas como bucha de canhão para os titãs (bucha de mandíbula nesse caso).

Com esse aspecto desesperado da luta, Shingeki no Kyojin acabou criando inúmeros genéricos, com o conceito da humanidade presa em um local restrito e lutando contra um inimigo avassalador.

shingeki-no-kyojin-episode-2-pic1.jpg
O terror de estar quase sendo agarrado por um deles se combina com o horror de ser mastigado e engolido vivo.

 

Para mim, o arco de Trost, embora, em alguns episódios, extremamente mal animados, chegando a parecer uma visual novel, é um dos mais aterrorizantes que já vi em um animê. As ondas de recrutas mandados para o front são exterminadas uma após a outra e, como já se não bastasse a aparência de “pai de família do inferno” dos titãs, o fato de sabermos que, caso eles sejam derrotados, a humanidade será extinta, torna a parte psicológica do terror um ponto adicional às cenas de horror dos adolescentes sendo comidos vivos.

Em outras palavras, temos o horror dessas criaturas grotescas, mas como isso é um desennho animado, ou quadrinho, ele nunca será tão alto. O que dá a força ao Shingeki no Kyojin é seu terror, a antecipação nervosa de cada batalha, o sentimento de derrota latente em cada combate e o desespero de ser comido por uma débil mental gigante.

Mesmo as vitórias são extremamente custosas, ainda assim, alguns personagens do núcleo principal parecem ter uma camada de “plot armor” tão espessa quanto a Muralha Maria.

ian-tosses-his-comrade-to-safety-sacrificing-himself-in-the-process.jpeg
Cada vitória, por menor que seja, é conquistada a duras penas e grandes sacrifícios.

No entanto, tudo isso teve um 180º quando descobrimos que, não só existem nações organizadas fora das muralhas, o que todo mundo já sabia de uma forma ou outra, mas na verdade, as pessoas dentro das muralhas vivam em um guetto. Não só isso, eles viviam lá e era ignorantes do resto do mundo, que vive em mundo dieselpunk quase comum, com exceção dos titãs usados como armas.

Ou seja, os últimos sobreviventes da humanidade passaram a ser um bando de idiotas que estavam lutando uma guerra de mentirinha, pois mesmo que fossem eliminados por completo, a humanidade estaria bem, obrigado. Afinal, todos odeiam eles.

O termo guetto pode ser perfeitamente aplicado aqui, pois o escritor fez uma referência bem clara aos planos nazistas de deportar todos os judeus para a ilha de Madagascar. Esse plano foi abortado quando ficou claro que eles jamais conseguiriam utilizar os meios navais de transporte. Então, a solução final foi criada.

Se você virar a merda de mapa mundi que ele criou, verá que a Ilha Paradis é igual à Madagascar. Não só isso, os “Eldianos” que vivem no continente, também vivem em pequenos guettos e são tratados quase identicamente aos judeus pelos nazistas.

qsYSttD.jpg
Poderia tentar fazer algum comentário, mas só vou mandar o Isayama criar vergonha. Pelo menos ele veio com atissemitismo velado como a autora de Magi.

Não só perdemos todo o terror e apreensão em cada batalha, afinal, se perdessem, a humanidade seria arrasada, como agora temos o maior clichê de vilões da história das histórias, Império Totalitário Expansionista Nazista. Até a desumanização, que no caso dos nazi era de colocar suas vítimas como pestes, vermes e ratos, aparece aqui com os “Eldianos” sendo  ligados a demônios e bestas das trevas.

O terror não é o elemento focal da série, sendo ela mais focada no grande mistério por trás dos titãs, das muralhas, da monarquia e quem são e de onde vêm os humanos com capacidade de se transformar. Mesmo assim, ele era um ponto bem interessante, que dava ainda mais dramaticidade às lutas, mortes e vitórias dos “heróis”.

maxresdefault.jpg
Como tinha dito, simpatizo muito rapidamente com personagens, e como não fazer isso com o Gelgar? O cara só queria uma birita (devo dizer que, ainda assim, a morte dele, da Nanaba e do cara do olfato foram bem chocantes e tristes).

Como se isso não bastasse, tão qual Naruto cagou seu conceito de que uma geração supera a outra, fazendo os ninjas mais poderosos da história serem os da primeira geração, nosso querido Hack U. Madara e o Hashirama Senju (sim eu sei que eles foram passados para trás, mas precisou pelo menos uns cinco poderes extras tirados do cu do autor para que o Naruto e o Sasuke chegassem lá), Isayama cagou seu próprio conceito ao fazer o extermínio dos titãs, que Eren berra sem parar ser seu objetivo desde o primeiro episódio, uma notinha de rodapé.

27.png
E todos esses você pensando que teria alguma ciência steampunk na criação dos titãs, não, não, era só magia mesmo.

Eles não passaram de uma abertura de cortinas, somente as luzes iluminarão o palco. Mas dessa vez não teremos uma história de sobrevivência contra zumbis gigantescos imortais, mas uma luta pessoas que podem criar seus “robôs gigantes” biológicos criados, aparentemente, por uma magia temporal tão confusa quanto a razão dessa decisão escrota.

Mesmo que os heróis sejam derrotados, o que seria inacreditável, não terei mais a mesma sensação de perda ou o terror deles estarem sendo devorados, afinal de contas, o próprio império nazista já foi mostrado como decadente e obsoleto.

tumblr_oep9gkcIU11qzjkzpo1_500.png
Trocamos todas teorias por uns easter eggs de bosta.

Ao final, teremos de esperar alguns meses para esse confronto final, já que ele deu por bem desenvolver os antagonistas, fazendo essa guerra ser mais idiota ainda. Teremos judeus exilados em Madagascar lutando contra judeus trancafiados em guettos. Falta só eles repetirem a cena do Coração Valente, quando ambos exércitos da Escócia e Irlanda dão as mãos para lutar contra seus opressores ingleses.

tumblr_inline_ojem9clDEV1touzt0_1280.jpg
Perguntinha mágica, se os Eldianos foram derrotados há mais de 100 anos, imaginando que estão numa década de 1910 (ou por aí). Como diabos eles derrotaram o titã original com mosquetes e baionetas?

Ah, antes que me esqueça, ele até dá uma pincelada quanto ao pacifismo tolo do Rei, que queria criar sua utopia dentro das muralhas, e o jingoismo agressivo de Eren e sua turma. Mas vejam só, depois de um capítulo ele esqueceu disso e seguiu em frente.

gg_shingeki_no_kyojin_-_07_3f33870c-mkv_000508_06-30-13.jpg
Minha vontade ao perceber que metade dos mistérios não serão solucionados e que a outra metade será em diálogos expositivos que destroem todo o conceito criado pelo próprio autor ao longo da história.

16 comentários sobre “Como o universo de Shingeki no Kyojin arruinou seu próprio conceito de terror

    1. O grande mestre dos magos (agora me falta o nome) se refere aos não-magos como Goyin (termo usado para não-judeus). Fora sua aparência, que também é bem similar aos estereótipos de judeus. Além do fato deles serem uma sociedade reclusa, mas que desfruta da desgraça das outras. Com o tempo, ela abandonou isso, não sei o motivo, mas tá lá.

      Curtido por 1 pessoa

  1. Concordo com tudo, porém esse anime me desapontou nos primeiros episódios. Quando o protagonista foi devorado achei o anime incrível, pensei que haveria algum tipo de “automail” ou algum meio de usar a regeneração dos titans para recuperar os membros do protagonista.
    Daí veio a decepção, o protagonista pode se transformar. Tipíco de anime shounen (se bem que ele é shounen). A partir disso já havia perdido a esperança nesse anime, pois sempre soube que seria mais do mesmo.

    Curtido por 1 pessoa

  2. pessoas e pessoas né kk
    Eu, pessoalmente, já acho shingeki um anime excepcional. Como todo shounen eu esperava que iria cair naquele clichê de sequer ter medo da morte de um personagem porque no fim todo mundo ganha, e embora alguns possam alegar que snk não é diferente dos outros nesse quesito não vou mentir que teve muitas situações em que eu esperava que tudo ia dar certo e deu merda, e que personagens acabaram morrendo (o que já é um diferencial, já que tinha uma abordagem bem pesada atrás disso). Mas enfim, isso é mais uma opinião pessoal de acordo com a MINHA experiência mesmo. Não quer dizer que é regra HSUAHUSA

    Mas apesar do sangue, das lutas e tudo mais eu não gosto de animes que tem SÓ isso. Não vou dizer que não gosto, porque se não tiver isso eu já fico desanimada (vide fairy tail, que tem lutas e tudo mais porém ninguém morre. No fim, tudo se resolve magicamente e mesmo em guerra eles não tem baixas pessoais. Sei não viu) com a história, mas se for SÓ isso, só tiver terror pra oferecer não tem graça pra MIM. É bom, mas vai ser só um anime que eu vi e que curti, não acrescentou nada demais. Foi assim em Ikkusei keikaku, pra mim é um anime foda por conta da violência e tudo mais, mas por não ter tido tempo pra desenvolver as histórias pessoais não se torna, por exemplo, um anime que entra no top preferidos.

    Só utilizando o artifício do terror, da perda o tempo todo não vai me fazer a se apegar tanto a história. Shingeki só chamou minha atenção de verdade quando revelou outras nações kk. Eu gosto mesmo é de história/treta. Agora, eu quero ver outros países, outros personagens e ver como tudo vai se resolver no final, porque porra, apesar de tudo eles ainda tão ferrados. O que aconteceu não muda o fato que eles estão em guerra com um país, quiçá agora com o mundo.

    ah, e sobre a magia citada no texto… não tem uma resposta certa pro que aconteceu. Alguns falam que foi um poder divino, outros que foi um pacto com o demônio. No fim a resposta se perdeu, e os personagens também não sabem sobre a origem de Ymir e dos titãs, mas é provável que isso vá se revelar daqui pro final.

    Shingeki pra mim, por enquanto (ressalto o por enquanto, porque eu me desencanto muito fácil com as obras) tá muito foda. Provavelmente vai se tornar uma decepção se não tiver mortes que nem FT, eu torço pros meus favoritos não morrerem mas do outro lado tô “porém imagina se….”. Ressalto isso das mortes porque é o que torna uma guerra real. Não faz sentido um anime que demonstra batalha e guerra uma vitória o tempo todo, tudo dando certo. Vamo admitir: a gente gosta é de ver desgraça e o circo pegando fogo. E uma dose de realismo, só isso.

    Enfim, fora isso, a falta de realismo, eu acho que ficaria decepcionada se acontecesse algum tipo de envolvimento romântico do Eren com a Mikasa, ou a Mikasa com alguém. One Piece e Shingeki são animes que eu não consigo ver rolando envolvimento romântico, só de pensar nisso me dá um coiso argh

    Naruto teria sido mais foda se não tivesse casalzinho no final, idem Bleach. Romance em shonen só causa discórdia, espero e rezo que o Isayama não caía nisso e faça o mesmo.
    ps: único acerto de FT foi não ter colocado casalzinho. Se bem que com o jeito que a trama tava, eu preferia que tivesse um final fechado com casal que nem Naruto do que terminar do jeito que terminou.

    Curtir

  3. Mas já pensou que na verdade o povo eldian são os alemães, que perderam a guerra, são culpados até hoje pelo nazismo, seu próprio povo foi colocado contra eles “Titan” e o governo atual é de mentira. Até que surge alguém com o espirito fascista “Eren Jaegar” que depõem o governo de mentira, e num espirito jingoista vai contra aqueles que o derrotaram no passado, no caso os Marleys que podem ser interpretado como os EUA “A nova potencia militar do mundo”, que por sua vez no manga reuniu o mundo para enfrentar os Eldians, com a alegação de que eles querem destruir o mundo.

    Outros fatos como:

    Os Eldians terem nomes alemães
    O país da Mikasa “Japão” ser o unico possível aliado.
    Erwin o comandante da tropa de exploração era um comandante nazista.
    Grande nacionalismo por parte dos Eldians da ilha paradis.

    Curtir

    1. Assim e tem os 100 anos de paz, que pode ser interpretado como o fim da segunda guerra mundial com a derrota da Alemanha no caso os Eldian, até agora… Que na verdade era uma mentira, a história foi alterada, e qualquer um que vá contra a história imposta é detido, muito semelhante a alemanha atual!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s